Ambiente

Ambiente

Auditorias ambientais

  • Realização de Auditorias e Diagnósticos Ambientais.
    Avaliação de Não Conformidades do ponto de vista do cumprimento dos Requisitos Legais e das Boas Práticas Ambientais.
  • Identificação de Aspectos e elaboração de Relatório de Auditoria.

Avaliação Quantitativa de Risco (AQR)

  • O D.L. 173/2008( (alínea i) do artigo 2º e h) do artigo 1º) prevê a identificação da monitorização de emissões para o ambiente em instalações de actividades diretamente associadas à industria química e petroquímica.
  • Medição da profundidade do nível da água e espessura de produto livre nos piezómetros.
  • Desenvolvimento, limpeza e recuperação de piezómetros.
    • Toma amostras descartável;
      Bomba submersível;
    • Bomba de inércia;
    • Amostragem baixo fluxo.oma de amostras de água com um amplo leque de metodologias:
  • Toma de amostras sob a camada de produto livre (LNALP), evitando a mistura de água com a fase de hidrocarbonetos.
  • Análise de amostras em laboratórios internacionais e nacionais de referência.
  • Comparação de resultados analíticos com normas de referência.
  • Calculo e representação de plumas de contaminação em mapas georreferenciados.
  • Produção de mapas de isopiezas.
  • Produção de mapas de espessura de produto livre.
  • Análise da evolução da qualidade das águas.
  • Construção de modelos hidrogeológicos.

Auditorias compra e venda (due diligence)

Fase 1

  • Recolha de informações sobre a instalação: uso histórico do terreno pré- instalação, uso do terreno pós instalação, passivo ambiental, emissões para o meio ambiente, legislação aplicável, enquadramento geológico, hidrogeológico e ambiental.
  • Visita ás instalações, entrevistas com responsáveis, identificação de não conformidades e de locais de potenciais contaminações, depósito de resíduos.

Fase 2

  • Planeamento e Intervenção de 2ª fase.
  • Realização de sondagens e instalação de piezómetros em terrenos contaminados ou potencialmente contaminados.
  • Determinação da área e volume de solos e águas subterrâneas contaminados.
  • Estimativa do valor de remediação

Estudos Hidrogeológicos

  • Projeção e construção de redes piezométricas.
  • Realização de mapas de isopiezas.
  • Determinação de parâmetros hidrogeológicos ‘in situ’:
    • Execução de ensaios de caudal;
    • ‘Slug tests’.
  • Ensaios ‘bail down’.
  • Construção de modelos hidrogeológicos.
  • Estudos hidrogeológicos de acordo com o RMUEL (Cãmara Municipal de Lisboa)

Licenciamento Ambiental (PCIP)

  • Preenchimento do formulário de Licenciamento Ambiental.
  • Organização do processo.
  • Submissão do processo e acompanhamento junto das autoridades competentes até à obtenção da Licença Ambiental.

Remediação de águas subterrâneas

  • Sistemas de bombeamento para remoção de produto livre (LNALP) e de águas contaminadas.
  • Tratamento de águas contaminadas através de metodologia “Pump & Treat”
  • Instalação de “skimmers”.
  • Instalação de “absorbent sock”
  • Projeção e planeamento da operação de remediação.
  • Fiscalização e acompanhamento da operação de remediação.

Prospeção Geofísica

O GPR (Ground Penetrating Radar) ou Georadar é um equipamento de prospeção geofísica não invasivo e não destrutivo, que usa a diferença entre as constantes dielétricas (K) dos materiais para reconhecer objetos e estruturas no subsolo.

Pelas suas características, o GPR é a ferramenta ideal para investigação do subsolo aplicado a diferentes áreas como a Geologia, a Geotecnia, a Arqueologoia, as Ciências Forenses, o Levantamento Cadastral e a Engenharia Civil.

Este equipamento pode ser utilizado na deteção de:

  • Estruturas rochosas e solos (camadas de solo, maciços rochosos, depósitos de aterro);
  • Cavidades e fraturas (grutas, fendas, abatimentos);
  • Águas subterrâneas (níveis freáticos, infiltrações de água);
  • Estruturas enterradas (tubagens, condutas, cabos);
  • Estruturas construídas (espessura/estado de pavimentos, armaduras);
  • Elementos arqueológicos.

Avaliação Ambiental de Postos de Abastecimento

  • Identificação das áreas de maior sensibilidade ambiental numa rede de distribuição de combustíveis, com vista ao planeamento de acções, investimentos e recursos a afectar a cada instalação.
  • Acção feita em conformidade com o D.L. 147/2008 “Responsabilidade ambiental”.
  • Metodologias de avaliação específica do cliente, APETRO, ou desenvolvida internamente.
  • Edição de “checklists” para a identificação dos índices técnicos/operacionais e parâmetros ambientais do posto e da sua envolvente.
  • Criação de uma Base de Dados para inserção de toda a informação.
  • Relatório e produção de dados estatísticos associados à Análise de Risco executada.

Avaliação de Resíduos

  • Avaliação e classificação de resíduos em relação ao seu grau de perigosidade (perigoso, não perigoso) de acordo com o regulamento EU 1357/2014 de 18 de Dezembro, Decisão EU 2014/955/EU e Regulamento CE nº1272/2008 de 16 de Dezembro.
  • Distribuição de resíduos sob a forma de mapas de isolinhas de espessura.
  • Determinação da espessura, extensão e volume de resíduos enterrados.
  • Estimativa do custo de remoção e deposição em aterro de resíduos controlado.
  • Programação e acompanhamento da operação de remoção de resíduos.
  • Avaliação do estado ambiental dos solos remanescentes.

Investigação de presença e distribuição lateral e em profundidade de contaminantes no subsolo e nas águas subterrâneas

  • Avaliação do potencial estado de contaminação do solo e água subterrânea.
  • Furação com recuperação integral de testemunho de solo, sem uso de fluidos de furação.
  • Rotação a seco com caroteador (recuperação integral de testemunho);
  • “Geoprobe” (recuperação integral de testemunho);
  • Traço (oco e maciço).
  • Avaliação da presença de voláteis de hidrocarbonetos de petróleo no testemunho de solo por metodologia “PID”.
  • Instalação de piezómetros.
  • Toma de amostras de solo e água subterrânea.
  • Análise de amostras de solos e águas em laboratórios internacionais e nacionais de referência.
  • Cálculo do volume e massa de solo contaminado.

Estudos Soil-Gas

  • Método de expedito de avaliação da presença de hidrocarbonetos no subsolo.
  • Rápida realização.
  • Resultados instantâneos.
  • A metodologia mede a concentração de voláteis de hidrocarbonetos no subsolo diretamente relacionáveis com a concentração de hidrocarbonetos presentes no subsolo.
  • Possibilidade de medição de voláteis entre 0, 4 e 4m de profundidade.
  • A metodologia permite dirigir as sondagens “tradicionais” para
    ​pontos onde será mais provável encontrar contaminação.

Monitorização de redes piezométricas

  • O D.L. 173/2008( (alínea i) do artigo 2º e h) do artigo 1º) prevê a identificação da monitorização de emissões para o ambiente em instalações de actividades diretamente associadas à industria química e petroquímica.
  • Medição da profundidade do nível da água e espessura de produto livre nos piezómetros.
  • Desenvolvimento, limpeza e recuperação de piezómetros.
  • Toma de amostras de água com um amplo leque de metodologias:
    • Toma amostras descartável;
    • Bomba submersível;
    • Bomba de inércia;
    • Amostragem baixo fluxo.
  • Toma de amostras sob a camada de produto livre (LNALP), evitando a mistura de água com a fase de hidrocarbonetos.
  • Análise de amostras em laboratórios internacionais e nacionais de referência.
  • Comparação de resultados analíticos com normas de referência.
  • Calculo e representação de plumas de contaminação em mapas georreferenciados.
  • Produção de mapas de isopiezas.
  • Produção de mapas de espessura de produto livre.
  • Análise da evolução da qualidade das águas.
  • Construção de modelos hidrogeológicos.

Remediação de Solos

  • Remediação de solos, por remoção para gestor autorizado ou através da instalação de metodologias de tratamento “in situ”.
  • Projeção e planeamento da operação de remediação.
  • Licenciamento da operação de descontaminação junto da CCDR e outras entidades
  • Fiscalização/acompanhamento da operação de remediação.
  • Realização de medições “in situ” do teor de hidrocarbonetos e metais pesados.

     

Riscos Ambientais Graves (SEVESO)

  • Avaliação de stocks.
  • Notificação.
  • Política de Prevenção de Acidentes Graves.
  • Relatório de Segurança.
  • Desenvolvimento e implementação do Sistema de Gestão de Segurança, associado ao cumprimento dos requisitos legais em vigor para os estabelecimentos abrangidos pelo Regulamento sobre Riscos Industriais Graves.

Especialistas na área do ambiente, há mais de 20 anos

2020 ETP – Todos os direitos reservados

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.